quarta-feira, 23 de maio de 2012

Erros sem perdão



Sempre pensei que não ia acabar desta forma. Sempre pensei que iríamos passar ainda por muito. E o mais importante, sempre pensei que iríamos lá estar um para o outro, nos bons ou maus momentos. Mas a estúpida fui eu. Por acreditar em cada passo que dei contigo. Por acreditar no sempre. E odeio-me por isso. Odeio-me por nunca ter aberto os olhos. Odeio-me por julgar que eras perfeito. Gostava de puder mudar o passado, talvez assim não tivesse sofrido tanto. Nem feito sofrer os outros. Cometemos tantos erros. Sempre tentei ignorar esses erros e seguir em frente, mas com o tempo, a dor e a mágoa que esses erros me causaram, era tanta que já não dava para ignorar. Mas a culpada não fui só eu. Podias ter lutado pela nossa felicidade ou pelo nosso amor. Podias ter mostrado o quanto me amavas. Podias ter evitado isto. Ou podias ter-me avisado que um dia partirias. Mas quiseste desta forma. Sem despedidas. Nada me restou. Apenas as lembranças de que um dia fomos felizes. De que um dia fui tua e tu meu. Mas depois vieram esse erros. Erros sem perdão. E aí tudo acabou.

4 comentários:

  1. todas as relações têm erros, perdoas todos. mas sabes qual é o mal? é que tu não esqueces de nenhum deles, e quando há uma discusão tens vontade de atirar-lhe esses erros à cara. é sempre assim. força, !
    e sigo-te

    ResponderEliminar
  2. Tens uma coisa no teu blog para mim :)

    ResponderEliminar