terça-feira, 8 de maio de 2012


É como se andasse aqui a fazer nada. Na verdade me sinto nada, me sinto vazia, sozinha e achando falta de alguém. Estou farta de tentar consertar a ferida. Chega a um ponto que dói tanto que tentamos não mexer mais com esperança que o tempo a consiga fechar. Até lá vai doendo, mas é uma dor adormecida á qual já me habituei. Parece que o mundo todo vai desabando em cima de mim. Parece que o que restava da razão de viver se foi. Foi-se tudo. Tudo menos a vontade de chorar. Ela é a única que permanece.

- Sarah Bachelier

Sem comentários:

Enviar um comentário